Só Contos

Apenas Mais um Arquivo de Palavras

A sensação

Memória

Por Ivani Medina

Tinha certeza de que tinha uma dúvida. Nada a ver com aquelas da vida prática ou relacionadas às suas necessidades e características, nada disso. Era uma dúvida não identificada, trazida como certeza por um daqueles sonhos que desvanecem ao despertar. No entanto, a límpida sensação boa trazida por ele permaneceu desafiadora por alguns instantes, como que pedindo para ser decifrada. Foi se distanciando no tempo que lhe é próprio e devagarzinho se desfazendo em névoa, enquanto a consciência tentava se desvencilhar do seu torpor biológico.

─ Espera! Espera! Espeee…

E a luz do dia invadiu-lhe a retina embaçando tudo de vez. Restou somente a lembrança de que uma certeza incomum realmente existiu e, em vigília, arrastou o seu manto de filó antes de se evaporar. Desapareceu juntamente com resíduos de imagens indefinidas e levando consigo uma raridade desconhecida. É uma pena que tamanha clareza não resista à luz do Sol. Nada mais embaraçoso e frustrante do que saber que tinha certeza de que tinha uma dúvida que não saberá mais qual seja.

Perder-se de uma dúvida é a experiência de uma perda singular, como a orfandade de um precioso esclarecimento que só seria possível naquele momento e condição. Pode ser que insista e retorne na mesma condução que as necessidades biológicas nos facultam, vestida de outro modo, quem sabe? A sensação que fica é como a de um perfume não se dissipa completamente. Permanece na memória olfativa a aromatizar pensamentos.

Single Post Navigation

9 thoughts on “A sensação

  1. Pingback: Ver! | Blog | A sensação

  2. poxa, realmente, mais um texto que faz com que reflitamos sobre nossos sentimentos e de suas questões …abçs

  3. Ivani Medina on said:

    Ana Lúcia

    Muito bogrigado, mais uma vez, pela sua visita, leitura e comentário. Abraços.

  4. Sérgio Werneck de Figueiredo on said:

    Questionar-se é ter a capacidade de pensar e encontrar uma nova solução.
    Às vezes o nosso inconsciente soma noites de sonhos, até formular uma questão.
    Muitas pessoas apenas dormem, outras sonham coisas incríveis ou simplórias, mas alguns fazem do sono uma aventura sensacional e descobertas acontecem.
    Quem sabe, quando a luz clarear seus olhos amanhã, você não grite EUREKA?!…

  5. Ivani Medina on said:

    Na mosca, Sergio. Não será a primeira vez. Forte abraço.

  6. Perfeito o teu texto, Ivan! As sensações são uma espécie de memória, a qual não temos a certeza que nos pertence. Ou, se nos pertence não temos memória dela, apenas nos invadem certas sensações.

  7. Olá Ivani! Conheço a sensação desta que fica como um perfume a aromatizar pensamentos. No fundo, penso que a gente sabe o que é..rs.. só não lembra, só não é palpável, não dá pra destrinchá-la como faríamos com algo que estivesse ali à nossa disposição para ser avaliado,pesado e talvez descartado por nosso senso lógico e racional. Gostei demais!

  8. Luísa

    Já cheguei a pensar se as dúvidas que temos fora, não seriam uma pequena parte das tantas que temos dentro. Obrigado.

  9. Vera

    Obrigado pelo seu comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: