Só Contos

Apenas Mais um Arquivo de Palavras

Só uma criança

Ao telefone

Por Ivani Medina

O telefone tocou e a telefonista da casa se apressa. Metida que só ela, aos dez anos de idade, Alice, de tudo quer saber. Tem sempre uma boa resposta, uma solução especializada para cada problema e até conselhos ela dá. O pior é que, não raro, seus palpites estão certos.

─ Alô.

─ Oi, Alice. Tudo bom, querida?

─ Tudo, tio. Quando é que vem aqui?

─ Qualquer hora dessas. Eu também estou com saudade sua.

─ Tá bom.

─ Gostou do vídeo que lhe enviei?

─ Gostei, tio. Ele ensina a desenhar, mas eu ainda não sei fazer direito.

─ É assim mesmo. Existem duas coisas fundamentais na vida: uma é o truque. Esta o vídeo está mostrando. A outra é o treino. É só treinar e pronto! Você tem treinado?

─ Não.

─ Então comece. Vai ficar surpresa com os resultados, lhe garanto. A sua avó está?

─ Não. Ela teve que dar uma saidinha. Mas eu acho que não vai demorar. Quer algum recado pra ela?

─ Não, obrigado. Nada importante ou urgente. Depois nos falaremos. No mais, está tudo legal, né?

─ Tá, tio. Vou ficar lhe esperando, hein?

─ Ok, Alice. Logo estarei aí pra lhe dar um montão de beijos. Agora vou desligar, tá?

─ Mas, logo quando?

─ Alicinha do meu coração, quando der. Será em breve. Fique tranquila.

─ Vou esperar.

─ Um beijo enorme pra você desse tio que lhe adora. Agora vou desligar.

─ Um beijo enorme pra você também, tio.

─ Obrigado e tchau.

─ Ah, tio…

─ O que Alice?

─ Um abraço bem apertado!

─ Tá bom, querida. Outro pra você. Tchau!

─ Tio, quando você vier a gente pode passear em algum lugar?

─ Claro. Agora me deixe ir, tá?

─ Eu vou ficar muito feliz quando você vier. Beijo tio.

─ Caramba, por que as mulheres têm tanta dificuldade para se despedirem ao telefone?

─ Ah, eu não sei disso não.

─ Ah não?

─ Eu não sou uma mulher.

─ Ah não?

─ Não, sou só uma criança.

Single Post Navigation

13 thoughts on “Só uma criança

  1. Sérgio Werneck de Figueiredo on said:

    Não é mulher, mas já leva jeito para ser uma das boas…

  2. rsrsrs Bem se vê, Sérgio. Muito obrigado e um forte abraço.

  3. O diálogo que era para ser simples se transforma em literatura. Um traço indefectível do Ivani.
    Abraços

  4. rsrsrs Meu caro Antonio

    Muito obrigado pelo apreço de sempre.
    Forte abraço.

  5. Pingback: Ver! | Blog | Só uma criança

  6. Valéria on said:

    kkkkkk…. isto me fez lembrar dos telefonemas que me filho me dá quando estou no trabalho…. se fosse uma menina poderia dizer que as mulheres tem dificuldade em desligar o telefone… mas é só um menino de 10 anos…. é apenas uma criança….
    Beijo no coração

    Ps. Saudade amiga!

  7. Obrigado, Valéria pela sua leitura e comentário.
    Abraços.

  8. Olá Ivani, boa tarde. Só uma palavra: delicioso. Criança ou não, é claro que Alice é
    humana, muito humana. Um abraço.

  9. Olá Ivani! delicioso ler sua história e me fez lembrar de minha netinha de 4 anos. Bem, uma menina de dez anos já é “quase uma mocinha”…rs… mas concordo, desde bem mais cedo já demonstram que gostam de atenção…rs.. Abraço e bom final de semana!

  10. Olá José, sim a humanidade persistente no que ele tem de melhor. Obrigado e u forte abraço.

  11. Sim Vera, histórias de crianças são cartas marcadas rsrs. Um excelente domingo para ti.

  12. Aí está uma criança curiosa e inteligente. Na inocência da idade, ela sabe perfeitamente defender-se que uma ideia depreciativa, generalizada e aceite como facto pela sociedade que a rodeia!🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: